Produtos Veganos, biológicos e cruelty free

O que significa um produto ser Vegano,Cruelty-Free,Orgânico ou Biológico?

A enorme variedade de produtos que existe no mercado, obriga-nos a que estejamos muito mais informados e cientes do que levamos para casa. Somos consumidores cada vez mais exigentes com a qualidade dos nossos produtos e essa exigência vai muito mais além do que os benefícios que conseguimos obter com os mesmos. 

Muito se ouve falar em dar preferência a produtos veganos, cruelty-free, orgânicos ou biológicos. Apesar de parecer tudo a mesma coisa, não o são. Ainda existe uma grande confusão entre estes conceitos.

Neste artigo, vamos ajudar-vos a desmistificar os conceitos de produto vegano, cruelty-free, orgânico e biológico. Assim quando forem fazer as vossas compras já sabem o que estão a levar para casa.

 

O que é o veganismo?

alimentacao vegana

veganismo mais do que uma dieta é um estilo de vida que defende e protege todos os animais. Desta forma, rejeita completamente a exploração animal não só  para a nossa alimentação como para a nossa roupa, acessórios e cosméticos. É impensável utilizar produtos que são testados em animais ou que contenham ingredientes de origem animal e participar em atividades onde exista exploração dos mesmos.

Para além disso, o veganismo também está muito ligado ao interesse de proteger o nosso planeta contra a agressividade da indústria agro-pecuária. Esta é uma das indústrias que mais impacto tem no nosso ambiente uma vez que exige um enorme consumo de água, cereais ( que poderiam ser utilizados para alimentação humana) e criação de parcelas de terreno de cultivo/ pastagem implicando a destruição de florestas, habitats e espécies. 

É muito importante reforçar que ser vegano não é só deixar de comer carne, peixe e derivados de animais. Ser vegano, implica tomar decisões  tanto a nível alimentar como de vestuário,cosmética, entre outros aspectos. Aqui, obviamente que é impossível ter conhecimento sobre tudo o que se passa na indústria em geral e todos os seus passos. Contudo, tentam de acordo com o alcance do seu conhecimento, evitar ao máximo a exploração animal.

Sem dúvida alguma que não têm de fazer estas mudanças todas de uma só vez. Mudem os vossos hábitos de forma a ser mais fácil para vocês, mas é mesmo necessário ter em atenção que ser vegano não se foca apenas na alimentação e sim num estilo de vida que engloba todas as áreas de consumo e entretenimento (circos, jardins zoológicos, touradas, entre outros).

 

Alimentação Vegana

Em 2019, foi realizado o estudo Reducing food’s environmental impacts through producers and consumers, que teve como base quase 40.000 quintas em 119 países. Joseph Poore da Universidade de Oxford e um dos responsáveis pelo estudo, afirma que uma dieta vegana é provavelmente a maior forma de reduzirmos o nosso impacto ambiental no nosso planeta.

Sempre que pensamos em alimentação vegana, pensamos apenas na crueldade e horror que é cometido com os animais, mas é muito mais do que isso. O consumo de carne e de derivados dos animais, para além de emitirem enormes quantidades de gases de efeito estufa, aumentam ainda a acidificação do ar (poluição do ar que leva à formação de chuva ácida) a eutrofização da água (poluição dos cursos de água) e o gasto de água doce. 

Se quiseres saber mais sobre este estudo, clica aqui!

 

Produtos de Cosmética Vegana

cosmetica vegana

Um produto vegano, na sua essência,  não deveria possuir na sua fórmula ingredientes de origem animal e testados em animais, nem ser testado em animais em qualquer das fases de criação do produto. Contudo, ser vegano não significa ser orgânico ou natural. Muitas das vezes, são utilizados ingredientes sintéticos que são veganos. O problema destes ingredientes, é que podem ser derivados do petróleo como a vaselina ou parafina.

Um mito que se tem vindo a associar a este tipo de produtos é que são totalmente cruelty free, o que pode não ser totalmente verdade para produtos comercializados fora da União Europeia. Ao início parece ser impossível um produto vegano não ser cruelty free, mas acontece.

 

Produtos Cruelty-free

Na União Europeia, desde 2004 que não se pode testar cosmética em animais e que a partir de 2009, incluiu-se também os ingredientes que não podem igualmente ser testados em animais.

Para saber mais sobre a regulamentação europeia, clica aqui!

Ainda, não queríamos deixar de vos falar do mercado Chinês que, em 2012, tornou obrigatório o teste em animais para todos os produtos de cosmética, mesmo os importados e já testados noutros países. Apesar de já terem sido feitas algumas alterações, atualmente todos os cosméticos importados, segundo a Chinese State Food and Drug Administration, continuam a ter de ser obrigatoriamente testados em animais antes da sua comercialização. Ou seja, uma empresa europeia que não use ingredientes testados em animais e que o produto final não tenha sido testado em animais, ao exportarem para a China, obrigatoriamente terão de testar.

Os requisitos para a obtenção da certificação cruelty-free, mudam de empresa para empresa pelo que é importante verificá-los para que não haja dúvidas sobre o que realmente significa.

Considerando o explicado acima, um produto que menciona ser só “cruelty-free”, não significa que seja vegano, ou seja, que não contém produtos de origem animal. O produto final não terá sido testado em animais, contudo poderá conter na sua fórmula cera de abelha, por exemplo.

 

Só por Curiosidade!

Já repararam que normalmente os produtos de cosmética só têm o símbolo vegano e não vegetariano

Isto acontece, porque na realidade não existem produtos de cosmética vegetarianos.  Este conceito é apenas aplicado à alimentação. O vegetarianismo é uma opção alimentar que exclui alguns produtos de origem animal, enquanto que o veganismo é um estilo de vida que engloba alimentação, vestuário, produtos de cosmética e de higiene.

Principais regimes alimentares vegetarianos

  • Ovo-Lacto-vegetariano: Exclui carne e peixe e inclui ovos e laticínios;
  • Lacto-vegetariano: Exclui carne, peixe e ovos e inclui lacticínios;
  • Ovo-vegetariano:  Exclui carne, peixe e lacticínios e podem consumir ovos.

 

O que significa ser Biológico ou Orgânico?

produtos bio

De acordo com a legislação da União Europeia estes dois termos são sinónimos. Muitas das vezes deparamo-nos com produtos biológicos e produtos orgânicos, meramente por uma questão de idioma. 

Enquanto que em Espanha é utilizado o termo “ecológico”, em França diz-se que um produto é “biológico” e em inglês que é “orgânico” – “organic”. Aqui em Portugal utilizamos o conceito de produto biológico mais para produtos alimentares enquanto que para cosméticos utilizamos o orgânico, embora signifiquem o mesmo.

 

O que é um produto biológico?

Segundo a Iberdrola, um produto biológico é um produto que é cultivado de forma tradicional, onde não existe o uso de pesticidas, fertilizantes sintéticos ou transgênicos. Basicamente, o seu cultivo é feito de forma a respeitar os ciclos da natureza.  Para além disso, existe uma rotação de cultivo para que sejam aproveitados os nutrientes que se encontram na terra. 

Mas como podemos identificar um produto biológico? 

Por regra, os produtos biológicos produzidos na União Europeia têm um selo que garante que esses alimentos provêm da agricultura biológica. Para que os produtores recebam esta certificação, são realizadas visitas aos locais de produção que verificam se o processo de produção respeita as normas da UE. 

 

Quais os objetivos da agricultura biológica?

A  agricultura biológica, para além da qualidade dos alimentos, tem como objetivos a manutenção da biodiversidade, a utilização da energia e dos recursos naturais de forma responsável, o aumento da fertilidade dos solos e a manutenção da qualidade da água.

Relativamente aos técnicos de agro-pecuária, que pretendem vender carne como sendo biológica e com certificação da UE, têm de atender a um conjunto de regras, como por exemplo, os animais viverem em condições de “semiliberdade” e é proibido o uso de hormonas de crescimento e antibióticos. Os técnicos têm de dar ração biológica para poderem vender os seus produtos como orgânicos e os alimentos devem ser obtidos principalmente na quinta onde os animais vivem ou que sejam de perto.

A nosso ver, no que diz respeito aos animais achamos que continua a ser cruel manter um animal numa quinta com o objetivo de ser alimento, sendo este alimentado de forma biológica ou não.

Podes ver mais sobre as regras da União Europeia para produtos biológicos, aqui!

 

E o que são Cosméticos Orgânicos?

cosmetica organica

Como referimos acima, este termo é mais utilizado em Portugal para produtos de cosmética. Na sua composição, além de ter ingredientes orgânicos/ biológicos, não podem estar substâncias que se encontram proibidas e que são comprovadamente nocivas à nossa saúde. Como exemplos, temos os famosos parabenos, os silicones e os petrolatos, que têm vindo a ganhar reputação pelos malefícios que têm na nosso planeta e principalmente no nosso corpo.

Segundo a dermatologista Dra. Luciana Garbelini, a nossa pele pode absorver até 60% dos produtos que colocamos na mesma e o mais grave é que muitas das substâncias vão parar à nossa corrente sanguínea. E é por isso, que mais uma vez, saliento a importância de lermos os rótulos e conhecermos o que estamos a colocar no nosso corpo.

Podes saber mais sobre o artigo, aqui!

Por norma, os produtos deste tipo, possuem no rótulo o selo de certificação orgânica e ainda reforçam o facto de serem orgânico na embalagem. Contudo, se querem ter mesmo a certeza e conhecer mesmo o que vão levar para casa, façam uma pesquisa primeiro.

Tentem conhecer a marca e tudo o que está por trás dela. como são feitos os produtos e pesquisar sobre os ingredientes. Sabemos que parece muita coisa e que dá muito trabalho,mas no fim de certeza que vai compensar. Só assim irão realmente perceber se estão a fazer uma compra de acordo com os vossos valores e propósito. 

De acordo com a Ecocert Greenlife, um dos maiores órgãos de certificação e inspecção da Europa, um produto só tem a sua certificação se for formulado por:

  • Pelo menos 20% da sua composição total ser orgânica (10% para produtos enxaguáveis como champôs e géis de duche);
  • 95% das plantas utilizadas, serem orgânicas.

Também é muito importante referir que a água ou minerais não são considerados orgânicos, porque não são provenientes da agricultura. No caso da água, esta é o principal componente de inúmeras fórmulas de cosmética, o que implica uma enorme diluição  dos ingredientes orgânicos no produto final.

Para mais informação da Ecocert, veja aqui!

Então não existem produtos com ingredientes 100% orgânicos? Sim podem existir. Um bom exemplo de um produto 100% orgânico são os óleos de massagem. Existem muitos óleos que são feitos apenas de ingredientes orgânicos e por não terem água na sua composição, podem sim ser considerados 100% orgânicos! Mas claro leiam o rótulo primeiro e confirmem a informação.

 

Existe diferença entre um produto orgânico e um produto natural?

Há primeira vista podem parecer conceitos sinónimos, mas é muito importante sabermos distinguir produtos naturais de produtos orgânicos. 

Um produto natural tem ingredientes naturais certo? Correto! Mas atualmente muitos dos produtos que se autointitulam de naturais, muitas das vezes são feitos com versões sintéticas de produtos naturais.

Segundo a Planeta Huerto, o termo “natural” ainda não é regulado por lei e pode ser utilizado em qualquer produto, mesmo que só tenha 1 ingrediente natural. Por isso é muito importante sabermos ler o INCI – International Nomenclature of Cosmetic Ingredients, ou seja, a lista de ingredientes!  Muita gente ainda não o faz, mas acreditem que faz muita diferença.

Uma dica para quando vão analisar os ingredientes, é que a primeira substância é a que está em maior quantidade. Os componentes de um produto estão listados conforme a quantidade de cada ingrediente.

Então, mas devemos escolher uma marca que tem o selo que garante que é orgânico ou uma marca que já é conhecida no mercado pela sua transparência e credibilidade e que diz que os seus produtos são orgânicos? 

Sinceramente, isso é algo que fica ao critério de cada um de nós, mas é muito importante reflectirmos sobre isto. Por vezes, existem empresas que preferem investir o dinheiro que têm em ingredientes verdadeiramente orgânicos e de qualidade, do que gastar imenso dinheiro em certificações.

 

Fontes:

Nature Watch Foundation:

https://naturewatch.org/campaigns/article/how-china-is-slowly-moving-away-from-animal-testing

Stars and Stripes Foundation: 

https://europe.stripes.com/lifestyle/understanding-bio-label#:~:text=For%20agricultural%20products%20and%20livestock,origin%20come%20from%20organic%20farming.

A informação referente ao veganismo foi retirada do livro Cozinha 100% Vegetal e Saudável, da Carina Barbosa.

Deixe uma resposta

Options