Poluição Doméstica Mind The Trash

Poluição Doméstica – Causas e consequências

Cada vez mais, ouvimos falar sobre o aumento da poluição, mas será que já paramos para refletir como é que isso acontece? Normalmente apenas pensamos neste assunto como um assunto exterior. Por exemplo, sempre que lemos uma notícia é sempre sobre como os transportes impactam negativamente o nosso ambiente ou os gases tóxicos que as indústrias emitem durante a produção. 

No entanto, o que não nos dizem é que a poluição também existe na nossa casa e que muitas das vezes pode ser muito mais grave do que a poluição exterior. E sinceramente acho que é um assunto que deve ser abordado, porque primeiro é um dos sítios onde passamos mais tempo e segundo porque a mudança tem de vir de dentro (da nossa casa) para fora. Só assim é que conseguimos ajudar verdadeiramente o planeta!

E é por isso, que decidimos escrever este artigo onde vos falamos dos aspetos principais da poluição dentro da nossa casa e como é que eles afetam a nossa saúde e a do nosso planeta.

 

O que é a poluição? 

Poluição do Ar

A poluição é a contaminação e/ou degradação do nosso ambiente, que ocorre através da inserção de substâncias nocivas ou energia que prejudicam todo o nosso ecossistema. As substâncias nocivas podem ser definidas como naturais (cinzas vulcânicas) ou então criadas pela atividade humana, como o lixo e o escoamento de águas residuais. 

O aumento da industrialização, da densidade populacional e da urbanização têm vindo a ser apontados como as principais causas deste fenómeno, mas grande parte dela também é consequência dos nossos comportamentos e hábitos individuais.

Por isso é que é tão importante cada um de nós fazer a sua parte. Muitas pessoas ainda não começaram a adotar hábitos mais sustentáveis, porque acham que não vai fazer qualquer diferença e que não vai mudar nada. Mas ter esse tipo de pensamento é que não vai mudar mesmo nada. Conhecem aquela frase do Albert Einstein “o mundo não vai ser destruído por quem faz coisas más, mas sim por quem vê e não faz nada”? É exatamente isso que acontece com todos os nossos problemas ambientais, inclusive a poluição.

 

E o que é Poluição doméstica? 

Tal como o nome indica, a poluição doméstica é a poluição que é causada durante as nossas tarefas domésticas, e que, para além de ter consequências muito graves para nós, prejudica perigosamente o ambiente.

Segundo a Fundação ProAr, estamos constantemente expostos a imensos poluentes químicos e biológicos dentro da nossa casa. No entanto a gravidade da poluição doméstica muda de família para família, consoante os seus hábitos e comportamentos. Daí a importância de termos em atenção, o que levamos e utilizamos dentro de casa, uma vez que a nossa saúde pode ser gravemente prejudicada pela qualidade do ar que respiramos.

Contudo, a poluição doméstica não se resume apenas à poluição que fica dentro do nosso ambiente interior, mas também tem muito a ver com as nossas atividades diárias dentro de casa que impactam negativamente o ambiente exterior. As descargas que fazemos na cozinha e na casa de banho, também contribuem para grande parte da poluição da água. Assim como a preparação de alimentos, o simples ato de lavar a louça, tomar banho e o lixo que fazemos todos os dias, por exemplo. 

 

Poluição doméstica da água 

Poluição da Água

Sempre que pensamos em poluição da água, as primeiras coisas que nos vêm à mente são: vazamentos petrolíferos, o aumento da quantidade de plástico no mar e os resíduos tóxicos que todos os dias são lançados nos rios e no mar pelas empresas. 

No entanto, a qualidade da água, não tem vindo a diminuir apenas por essas razões. É muito mais complexo que isso e começa dentro da nossa casa!

 

  1. Um problema chamado Esgoto

    Sabiam que a principal causa da poluição da água são os resíduos que são levados desde a nossa casa até aos nossos rios e oceanos? Sempre que vou passear os cães junto ao rio, encontro imensos artigos de plástico que acabam por dar à costa e que grande parte vem das nossas casas. Posso dar-vos como exemplo os pauzinhos de plástico dos cotonetes. Acho que até cheguei a publicar nos stories a quantidade que achei há uns meses junto à Ribeira das Naus. Acreditem era mesmo vergonhoso.

    Por isso é que apelo a que tenham cuidado com o que colocam na sanita e o que descartam pelo ralo! Não se esqueçam, que os esgotos são o portal de entrada, para que esses produtos tóxicos entrem nos nossos cursos de água. 

    Se quiserem saber o que não devem mesmo colocar na vossa sanita, cliquem aqui!

    Porque é que os esgotos são um problema? 

    Os esgotos domésticos possuem uma grande variedade de poluentes que se encontram dissolvidos e suspensos. Para além disso, retêm materiais orgânicos que são derivados do desperdício alimentar e vegetal. Sempre que existe uma descarga descontrolada do esgoto, inúmeras substâncias tóxicas que provêm de sabonetes químicos, detergentes, champôs, pasta de dentes, acabam por contaminar os cursos de água e plantas que se encontrem por perto. 

    No entanto, os problemas dos esgotos domésticos não acabam aqui. A grande maioria possui bactérias que podem causar doenças. E sabem o que aumenta estas bactérias? Os produtos que usamos para manter as nossas casas limpas! Por exemplo, muitos deles possuem fosfatos na sua fórmula que são usados para suavizar a água. O problema é que os fosfatos, são os principais causadores do aumento do crescimento de algas, que têm como característica a remoção de grande quantidade de oxigénio da água, prejudicando assim todos os organismos ali presente

     

  2. Medicamentos NÃO são para serem deitados pelo ralo!

    Todos os medicamentos que estejam fora do prazo ou que já não usem, devem ser descartados corretamente, tal como todo o lixo que fazemos em casa. Infelizmente, muitas pessoas, ainda descartam muitos resíduos e/ou substâncias pelo ralo da casa de banho ou da cozinha. Por favor NÃO façam isso! 

    Sempre que pensarem em descartar medicamentos desta forma, pensei em todos os químicos que os constituem e o impacto terrível que vão ter no ambiente.

    Segundo o Dr. Mercola, várias pesquisas mostram que muitas estações de tratamento de água, não conseguem remover os medicamentos fazendo com que estes acabem por ir para o ambiente. Juntamente a isto ainda afirma que seja muito provável  que a água da nossa torneira também contenha uma pequena percentagem desses medicamentos.

    Por isso, se tiverem medicamentos fora do prazo ou que já não usam, não os descartem pelo ralo. Entreguem à VALORMED, que é a entidade responsável pela gestão de resíduos de embalagens vazias e medicamentos que já não estão próprios para uso e que são de origem doméstica.

    A entrega desses artigos pode ser feita nas farmácias, tanto em território nacional continental como nas ilhas e em locais de venda de medicamentos não sujeitos a receita médica, por exemplo espaços de saúde e parafarmácias.

    Para saberem quais os pontos de recolha mais perto de vocês, cliquem aqui!

  3. Produtos de limpeza e Higiene pessoal

    Sabem aquele detergente da loiça que compram no supermercado ou o gel de banho e champô que usam tão inocentemente na vossa higiene? Pois bem, também fazem parte da enorme lista de produtos que poluem os nossos cursos de água e prejudicam a vida animal.

    Quando usamos produtos de limpeza ou de uso pessoal com ingredientes tóxicos, uma grande parte deles vai pelo ralo, até ao sistema de esgotos, estações de tratamento de águas residuais e sobretudo para os rios, lagos e oceanos.

    De acordo com a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos, a maioria dos produtos de limpeza têm na sua composição compostos orgânicos voláteis (COV), que são super tóxicos para o ambiente. Como principais COV temos o fósforo, nitrogénio e a amónia.

    Para terem uma ideia, os detergentes que usamos para lavar a loiça possuem na sua fórmula cerca de 30 a 40% de fósforo! O que é uma percentagem surpreendente, tendo em conta os vários estudos que comprovam os vários malefícios do fósforo nos nossos cursos de água.

    Já no que diz respeito à amónia, esta é encontrada principalmente em produtos multiuso, que prometem desengordurar e ao mesmo tempo remover substâncias alergênicas, enquanto que o nitrogénio é característico de produtos de limpeza de superfícies e vidros.

Dica 

Apostem em produtos naturais, de origem vegetal e orgânicos!

Esta dica tanto vale para produtos de limpeza como de higiene. Agora que sabemos os principais malefícios dos produtos que muitas vezes trazemos para casa, já podemos escolher de forma consciente e saudável.

Quando incentivamos ao uso de champô sólido, uma pasta de dentes natural ou até mesmo de detergentes vegetais, não é só porque são mais amigos do ambiente, mas também porque ajudam-nos a ser mais saudáveis. É muito melhor para nós, se usarmos produtos naturais na nossa pele e na nossa roupa do que produtos cheios de substâncias tóxicas. 

Se tiverem curiosidade sobre os perigos dos produtos de higiene oral, cliquem aqui!

 

POLUIÇÃO DO AR 

Alguns números importantes sobre poluição atmosférica 

Segundo o Jornal Público, os investigadores estimam que a poluição atmosférica tenha contribuído para cerca de 4,9 milhões de mortes no mundo inteiro! Para além disso, chegaram à conclusão de que a má qualidade do ar reduz a esperança média de vida, para menos 1 ano e 8 meses, ou seja, uma criança que nasça hoje tem menos 20 meses de vida do que o esperado. 

Neste momento, doenças provocadas pela poluição, rivalizam com as doenças que provocadas pelo tabagismo. É neste momento que vemos o quão é importante é a qualidade do ar que respiramos, quando vemos que está em pé de igualdade com um dos hábitos que mais mata no mundo inteiro.

Já no que diz respeito ao nosso país, foram contabilizadas cerca de 3540 mortes provocadas pela poluição do ar. De acordo com, Francisco Ferreira, presidente da associação ambientalista Zero, no Jornal Público, apesar da nossa situação não ser as das mais graves, esta tem vindo a sofrer alterações significativas de ano para ano, no que diz respeito aos níveis de ozono que temos na nossa atmosfera. Durante o ano de 2018, não foram registados valores significativos da presença deste elemento, excepto no mês de Agosto onde verificou-se um aumento significativo de ozono, devido à grande onda de calor e ao aumento da circulação automóvel que elevam imenso os valores de dióxido de azoto.

Qualquer tipo de poluição é extremamente séria. Quando falamos em sustentabilidade, focamos sempre o nosso pensamento para os produtos que consumimos, mas é muito importante termos em atenção os nossos comportamentos. E isto também se aplica aos que temos dentro de casa. Por vezes, os nossos hábitos já são tão automáticos e naturais para nós, que nem nos damos conta do mal que estamos a fazer. É crucial percebermos de que forma estamos a poluir as nossas habitações e consequentemente a prejudicar a nossa saúde e a do nosso planeta.

 

Poluição do Ar doméstico

Limpeza doméstica

O ar do interior da nossa casa, é composto sobretudo por agentes biológicos (fungos ácaros, pêlos de animais entre outros), que apesar de não os vermos, acreditem que eles estão lá. De uma forma muito resumida, os ácaros são encontrados essencialmente nos tapetes, nos colchões, almofadas, sofás, brinquedos de pelúcia e roupas guardadas há muito tempo. Enquanto que os fungos (mofo ou bolor), libertam pequenas partículas que passam a fazer do ar e que podem desencadear sintomas de asma e/ou rinite. Para juntar à lista, não nos podíamos esquecer dos pêlos e a descamação da pele dos animais domésticos, que também contribuem para a má qualidade do ar.


Contudo, segundo a especialista em alergias, Dra. Faradiba, é fundamental termos em atenção o uso excessivo de produtos de limpeza que utilizamos. Nada vale estarmos tão obcecados com as limpezas domésticas, se depois utilizamos detergentes que são igualmente poluidores do ambiente doméstico.

 

 “Geralmente as pessoas relacionam os sintomas principalmente ao contato com a poeira e ao mofo. As pessoas acham que para os ambientes estarem limpos têm de estar com cheiro do produto de limpeza e acabam por abusar na quantidade. Desta forma a qualidade do ar das suas casas fica pior e elas inalam uma maior quantidade de poluentes que consequentemente agrava a inflamação nas vias respiratórias e desencadeia vários danos colaterais. Outra coisa que pode acontecer é a utilização de produtos que liberam poluentes gasosos inodoros e que a pessoa nem se percebe que inalou uma substância química.” 

Dra. Faradiba Serpa, especialista em alergias, professora e coordenadora do Centro de Referência em Asma e membro do Conselho Curador da Fundação ProAR

 

Algumas fontes de poluição do ar da nossa casa:

Fontes de Poluição Doméstica

 

Quais as consequências da poluição do ar interior na nossa saúde? 

Segundo a EPA – Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos, a qualidade do ar é extremamente importante para a nossa saúde. Sempre que respiramos substâncias tóxicas, o nosso corpo manifesta sintomas imediatos, como, irritação dos olhos, nariz e garganta, dores de cabeça, tonturas e fadiga. Normalmente, não associamos esse tipo de efeitos aos produtos que usamos em casa, contudo é necessário estarmos atentos porque uma pessoa que tenha uma condição de saúde mais fragilizada, pode sofrer consequências bem mais graves. Por exemplo, uma pessoa que sofra de asma pode piorar gravemente a sua situação. 

Regra geral, os efeitos podem ser semelhantes a constipações ou doenças virais e é por isso que muitas das vezes estamos doentes e nem sabemos muito bem porquê. Nem sempre associamos a poluição do ar e uso dos produtos que usamos em casa, às doenças que às vezes temos. Pode parecer uma simples constipação, mas a causa por trás dela é bastante mais grave e preocupante.

Em casos mais graves, a longa exposição pode levar ao desenvolvimento de doenças respiratórias, cardíacas e cancerígenas, que podem ser fatais.

 

Poluentes comuns de aquecimento doméstico, cozinha e iluminação 

A World Health Organization afirma que tarefas simples como cozinhar, aquecer ou iluminar uma divisão da nossa casa, podem originar emissões de inúmeros poluentes que são mesmo muito nocivos à nossa saúde. E sabem o mais impressionante, é que até a nossa água do banho fervida podem aumentar a poluição do ar doméstico.

Durante a nossa rotina diária, são expelidos materiais particulados, que são partículas muito finas que são facilmente inaláveis e que são compostas de sulfato, nitratos, amónia, cloreto de sódio, poeira mineral e até água. 

 

Mas como é que partículas tão finas podem prejudicar as nossas vias respiratórias? – h4

Material particulado do sistema respiratório

Em 2013 a Agência Internacional de Pesquisa do Cancro (IARC), citou que estas micropartículas são uma das principais causas do cancro do pulmão e que apesar de grande parte ter apenas 10 mícrons ou até menos (como mostra a imagem), têm tamanho suficiente para penetrar nos nossos pulmões e entrar na nossa corrente sanguínea. Desta forma, provocam vários problemas a nível cardiovasculares, cerebrovasculares e respiratórios gravíssimos. 

 

Vamos refletir!

Todos os dias somos bombardeados com notícias e novas informações de como a poluição afeta o nosso planeta e a nós próprios, mas mesmo assim ainda existem muitas pessoas que acham que a sua mudança não vai fazer diferença nenhuma no mundo. Mas lembrem-se que foram as atitudes individuais que nos levaram ao estado em que estamos. Por isso, não pensem que mudarem agora os vossos hábitos não vai levar a lado nenhum. Acreditem que vai e muito!

Por isso, quero muito reforçar que cuidar do nosso planeta é cuidar de nós próprios. Nós não estamos acima da natureza, nós estamos ao mesmo nível e fazemos parte dela. Prova disso, é que tudo o que descartamos de forma irresponsável, acaba sempre por voltar para nós. Descartamos plástico no mar, ele volta para nós no nosso prato e na nossa água. Poluímos o ar, mas depois precisamos dele para viver e acabamos por respirar ar poluído. 

Ao poluírmos o planeta, é como se estivéssemos a pôr um bocadinho de veneno na nossa comida todos os dias e acharmos que nada de mal nos vai acontecer.

 

Deixe uma resposta