Produtos de higiene oral

Os Perigos por trás dos Produtos de Higiene Oral!

Alguns dos nossos hábitos já são tão normais para nós, que muitas das vezes não nos apercebemos que muitos deles, não estão só a prejudicar o planeta como a nossa saúde!

A higiene oral sem dúvida alguma que é um desses casos. Nos supermercados encontramos dezenas de produtos diferentes, que nos prometem uma limpeza completa aos nossos dentes. Basta entrarmos no secção de Higiene oral para perceber que existem pastas de dentes e elixires bucais de todos os sabores, escovas de dentes de plástico de diversas cores e tudo isto em embalagens de plástico e com ingredientes sintéticos que mal conseguimos pronunciar.

Neste artigo, vamos explicar o porquê de ser tão urgente mudarmos alguns dos nossos hábitos de higiene oral e qual o impacto que cada um dos produtos tem no nosso planeta e na nossa saúde.

 

Conheces mesmo os teus produtos de Higiene Oral?

Quando falamos em mudar os nossos hábitos, muitas vezes associamos somente ao mal que estamos a fazer ao planeta. Contudo, esquecemo-nos de um fator muito importante e que tem também enorme relevância: a nossa saúde. Sem dúvida, estes dois devem andar de mãos dadas garantindo a nossa qualidade de vida.

Sempre que pensamos em mudar os nossos hábitos, temos muito aquela ideia de ajudar o planeta e diminuir muito do impacto negativo que temos sobre ele, mas esquecemo-nos de um fator muito importante: a nossa saúde. Ao estarmos a ajudar o nosso planeta estamos sem dúvida alguma a garantir a nossa qualidade de vida e saúde.

Um dos hábitos no qual devemos focar-nos não só no ambiente mas também na saúde são os produtos de higiene oral. Todos os dias somos inundados com novas pastas de dentes, elixires que nos prometem um sorriso maravilhoso, mas será que se compreendêssemos tudo o que vem escrito nos rótulos iríamos sorrir também? Sinceramente, acho que não!

Felizmente, cada vez mais têm vindo a aparecer alternativas sustentáveis mais naturais e com embalagens mais amigas do ambiente, mas ainda é necessário mantermo-nos informados sobre como nos podemos defender contra produtos que não são tão sustentáveis quanto parecem e também se são empresas que se regem por bons valores e transparência.

 

1.Pasta de Dentes

Pasta de Dentes

A pasta de dentes é um dos produtos que mais utilizamos ao longo da nossa vida. Desde pequenos que somos ensinados sobre a importância da higiene oral, mas infelizmente não ganhamos o hábito de perceber os ingredientes dos produtos que fazem parte desta nossa rotina diária.

Um aspecto importante a termos em consideração sempre quando compramos a nossa pasta de dentes é a sua composição. As pastas de dentes convencionais e que possuem na sua fórmula microesferas de plástico, são extremamente nocivas e contribuem para a poluição da água . Segundo a Harvard School of Dental Medicine são libertadas diariamente 8 triliões de microesferas em ambientes aquáticos dos EUA, o que dá para encher 300 campos de ténis!

Podes ver todos os perigos que esconde a fórmula das pastas de dentes aqui!

Para além disso, por ser um produto que já está presente na nossa vida nem sempre vemos ou pensamos sobre  o impacto que as suas embalagens têm quando são descartadas. 

Todos os anos são enviados para o aterro cerca de 1 milhão de milhões de tubos de pastas de dentes. E sabias que cada tubo de pasta de dentes é composto por 75% de plástico e 25% alumínio? Por isso é que é tão importante que esta seja reciclada da forma correta e não no lixo diferenciado.

O que recomendamos?

Foram inúmeras as pastas de dentes que a nossa fundadora Catarina Matos fez com base em receitas no Pinterest. Muitos falhanços e, depois de estudar cosmética, percebeu que muitas das formulações não eram de todo seguras. Farta de experimentar, um dia, em Londres, enquanto lá viveu enquanto arquiteta, descobriu as pastas de dentes da Georganics UK. Apesar de lhe ter parecido um produto caro, decidiu arriscar. Depois de usar, nunca mais usou outra sendo a sua marca de eleição desde 2016. Menos placa bacteriana, menos aftas e melhor hálito foram alguns dos benefícios que sentiu a longo prazo. Neste momento, no nosso site, temos a gama completa para que cada um possa escolher o produto de higiene oral com que mais se identifica e precisa.

 

2. Escova de Dentes

Escova de Dentes

Segundo a Harvard – School Of Dental Medicine, todos os anos são descartadas 23 milhões de escovas de dentes de plástico no mundo inteiro. Nos Estados Unidos este número é tão surreal, que com todas as escovas de dentes descartadas conseguimos dar 4 voltas completas ao nosso planeta. Agora imaginem o número de voltas que dá para dar com 23 milhões! 

Outro dado importante, é que cerca de 55 milhões das escovas utilizadas nos Estados Unidos são elétricas. Para além das escovas em si, a bateria deste tipo de escovas também acaba por ir para o aterro. Estamos a referir-nos aos estados unidos, mas noutros países esta realidade também não é diferente.

O artigo Environmentally Friendly Toothbrush, diz que só nos Estados Unidos são encontrados mais de 226 796 18 kg de escovas de dentes de plástico nos aterros! Se tivermos em consideração que o recomendado é mudar de escova de 3 em 3 meses e em média a esperança média de vida é de 80 anos, uma pessoa gasta mais de 300 escovas durante a sua vida inteira. 

Em Portugal, o número também é preocupante. De acordo com o Jornal Público, todos os dias 110.000 mil escovas são descartadas, o que dá um total de 40 milhões de escovas descartadas por ano. Apesar de sermos um país relativamente pequeno, este número é assustador e é extremamente importante que tomemos medidas para que este número comece a decrescer. 

Neste momento a população mundial é de mais de 7 mil milhões de habitantes. O que nos faz pensar, no quão urgente é encontrar escovas de dentes que são realmente boas alternativas às de plástico.

 

Como escolher uma escova de dentes?

Apesar de já existirem imensas alternativas no mercado é extremamente importante termos em atenção alguns detalhes.

  1. Embalagem

    Existem muitas escovas de dentes no mercado que apesar de se auto intitularem de “sustentáveis”, possuem embalagens de plástico ou de materiais que não são de todo boas para o planeta. Mencionam que é embalada em bioplástico? Cuidado, ainda é um tema muito controverso e ainda não está provado que pode ser uma alternativa mais sustentável. Na verdade, estudos já revelaram que pode ser uma pior alternativa! (ver stories do nosso Instagram do Plastic Free July 2020 onde falamos mais sobre a problemática dos bioplásticos. Link aqui!)  Por isso, quando fores escolher a tua escova, não te esqueças de verificar se a embalagem é reciclável, reciclada e melhor ainda compostável! ( se fizeres compostagem em casa é uma ótima escolha).

  2. Cabo da Escova

    Atualmente já conseguimos encontrar várias alternativas sustentáveis e que realmente são ótimas opções para substituir as escovas de plástico. Muitas delas são feitas de bambu e de madeira de faia.

    Um dos grandes receios em relação ao fabrico de produtos a partir de recursos naturais é a sua extração e o seu tempo de renovação. E tanto o bambu e a faia não são diferentes. 

    E por isso, quando decidimos juntar ambas as alternativas à nossa loja online, recolhemos algumas informações importantes que nos ajudaram a optar por estas escolhas.

    Quando escolhemos vender escovas de bambu um dos fatores interessantes que nos chamaram a atenção é o facto de esta ser uma planta com um crescimento extremamente rápido. No japão registou-se o crescimento de 1 metro e 21 centímetros em apenas 24h de uma planta de bambu! Para além disso, é importante ressaltar que estas plantas conseguem regenerar-se após o seu corte e podem viver até aos 100 anos de uma forma natural e sem irrigação artificial!

    Em relação às escovas de madeira de faia, é preciso tem em atenção se a madeira é certificada pela FSC, que garante que o mesmo é proveniente de florestas que possuem uma gestão sustentável e que a sua produção não prejudica a biodiversidade e os processos naturais das florestas. Neste caso, felizmente temos o ótimo exemplo da Georganics UK, que admiramos muito por se tentarem libertar do mercado Chinês, dinamizando o mercado Europeu. A madeira de faia provém da Suíça de florestas geridas sustentavelmente, com certificação FSC.

    Quanto ao cabo também temos de avaliar as escovas de bioplástico ou em que se substitui somente a cabeça da escova! Se não for colocado no ecoponto correto, se não for reciclado, irá para aterro ou para incinerar e não se resolve o problema e, como referimos acima, poderá não ser uma alternativa sustentável. Sinceramente, para nós, trocar plástico por plástico, não faz muito sentido pois poderá parar à mesma em aterro ou no oceano. Por exemplo, ao usar uma escova de bambu ou de madeira, sei que não irei ter qualquer problema com o cabo, somente com as cerdas se forem de nylon.

  3. Cerdas

    As cerdas ainda são um problema! Caso não se queiras usar escovas com pelo de porco ou a marca não tenha outro tipo de solução biodegradável ou compostável. A grande maioria das escovas existentes no mercado, sendo de bioplástico, plástico reciclado ou de bambu, continuam a ter cerdas de nylon. Algumas de bambu, já possuem cerdas à base de plantas compostas por 100% de óleo de rícino, como é o caso da marca “Brush With Bamboo”, nos Estados Unidos e, segundo a marca podem ser compostadas, contudo não é claro se são compostáveis em compostagem doméstica.

    Caso a escova ainda tenha cerdas de nylon, o que costumamos recomendar é:

    • Guarda as cerdas dentro de um frasco/garrafa de plástico reutilizado/a. Irá demorar anos até ficar cheio/a.
    • Possivelmente, nessa altura, quando já estiverem cheiros, haverá empresas a aceitar este material para reciclar. Caso contrário, quando estiver cheio, descartar no ecoponto amarelo dentro de uma garrafa de plástico fechada. As cerdas, por serem tão pequenas, nunca irão chegar ao centro de triagem e ao tapete da separação. E mesmo que chegue, como são tão pequenas, nem são seleccionadas pelos trabalhadores nos tapetes rolantes e irão para aterro. Se queres perceber melhor como funciona um centro de triagem vê o artigo do blog sobre a nossa visita à Amarsul aqui!

 

3. Elixir Bucal

Produtos de Higiene Oral

Para uma higiene oral completa é necessário que utilizemos um elixir bucal, mas será que estamos cientes de todos os perigos atrás da promessa “ dentes mais brancos, gengivas mais saudáveis e hálito mais fresco?”

Sempre que utilizamos elixir bucal inúmeras substâncias tóxicas, não só vão para a água  como para o nosso corpo. Isto porque existe uma enorme conexão entre a nossa boca e o nosso corpo. 

Segundo o Dr. Mark Burhenne, uma má saúde oral pode incentivar ao aparecimento de doenças cardíacas, diabetes, osteoporose entre outras doenças. A constante utilização de elixir dental pode trazer inúmeros problemas para a nossa saúde. E acreditem não é preciso engolir uma única gota de elixir para isso acontecer.

O revestimento da nossa boca é sobretudo formado por mucosas, que ao estarem em contacto com ingredientes tóxicos podem ficar infectadas, irritadas ou inflamadas. A capacidade de absorção da nossa boca pode levar a que produtos químicos tóxicos sejam levados para a nossa corrente sanguínea ou então provocar desequilíbrio natural da nossa flora bucal e consequentemente a nossa flora intestinal.

Podes descobrir mais sobre este tema aqui!

 

E quais são os ingredientes com que devemos ter cuidado?

  1. Álcool

    Devido às suas propriedades antibacterianas, o álcool é um dos ingredientes chave nos elixires bucais. O problema é que para além de combater bactérias nocivas ao nosso organismo, também destrói as bactérias que são boas para nós.

    De acordo com o Environmental Health Association of Nova Scotia’s (EHANS’s) Guide to Less Toxic Products,  os elixires convencionais costumam ter na sua constituição entre 18% a 26% de álcool na sua base. Estudos apontam que ao utilizarmos produtos com este componente, estamos a aumentar o risco de desenvolver cancro da boca, língua e garganta e ainda incentiva ao aparecimento de efeitos secundários como o síndrome de  boca seca.

    Por isso, se tens tendência a ter a boca seca ou feridas , não é aconselhado o uso de elixires que contenham álcool na sua composição. Isto acontece, após a evaporação do álcool evaporar que provoca ainda mais secura e irritação nas mucosas bucais, segundo o Dr. Kelly Blodgett

  2. Fluoreto

    O fluoreto é famoso pela sua proteção contra as cáries dentárias, e por isso, é muito comum encontrá-lo como um dos principais  ingredientes nos produtos de higiene oral. 

    Contudo alguns estudos têm vindo a provar que que o excesso de flúor pode causar vários problemas de saúde como diarreia, náuseas e em casos mais extremos pode levar a ataques cardíacos.

    Segundo a National Library of Medicine este componente pode ser encontrado em insecticidas, conservantes de madeira, produtos de limpeza e utilizado no fabrico de vidro.

    Mais uma vez, vemos o quão é importante estarmos informados em relação ao que trazemos para casa. Informação é poder! E infelizmente muitas pessoas ainda não sabem, que o que costumam utilizar na sua rotina de higiene tem na sua composição  os mesmos ingredientes que os inseticidas, por exemplo.

    O melhor é sempre optar por consumir flúor de uma maneira mais natural. Podemos encontrá-lo em alimentos ricos em cálcio, magnésio, vitamina A, Zinco, ferro ,Vitamina D e até na nossa água!

    De acordo com o estudo Effect of Cooking Vessel Composition on Fluoride, ao cozinharmos em panelas antiaderentes (ou politetrafluoroetileno), o aumento de flúor na água aumenta e consequentemente nos nossos alimentos também!

    No gráfico abaixo, podes ver os resultados do estudo, após ter-se fervido água em cada uma das panelas de diferentes materiais de diferentes materiais.

Elixir Bucal

Atenção! Teflon é o nome comercial para politetrafluoretileno, que é um dos principais compostos das panelas antiaderentes. 

     3. Sodium Saccharin

O Sodium Saccharin é um ingrediente sintético fabricado a partir petróleo. Por ser tão doce é muito utilizado como um substituto ao açúcar, uma vez que não tem calorias. Para além de ser utilizado em refrigerantes e alimentos dietéticos, é muito comum encontrar em produtos de higiene oral e cosméticos (por exemplo em bálsamos labiais). 

 

4. Fio Dentário

Produtos de Higiene

O fio dentário é um dos produtos que mais passa despercebido quando falamos de higiene oral. Contudo, se o observarmos mais de perto, percebemos que existem alguns cuidados a ter, na hora em que o vamos escolher. 

Segundo a Environmental Health Association of Nova Scotia no Guia para Produtos Menos Tóxicos, grande parte dos fios dentários que encontramos nos supermercados são feitos de nylon, que é um subproduto do petróleo e revestido com PTFE (politetrafluortileno), um produto químico considerado cancerígeno. 

Uma curiosidade sobre o PTFE é que este também é utilizado no revestimento de panelas antiaderentes. Isto dá muito que pensar, quando pensamos que estamos a utilizar o mesmo produto na nossa higiene oral.

A melhor alternativa é utilizar fio não encerado ou fio encerados com ceras naturais (por exemplo: cera de candelila)

Como não podíamos deixar de referir, um produto só é sustentável se o produto em si e a embalagem forem realmente sustentáveis.  E normalmente o fio dentário vem em embalagens individuais de plástico que podem ser ou não recicláveis.  Caso não o sejam estes pequenos artigos de plástico vão acabar no aterro, onde vão ficar entre 400 a 500 anos a decompor-se. 

Deixe uma resposta

Options