Glossário de Sustentabilidade (A-F)

Glossário de Sustentabilidade (A – F)

Muitos têm sido os conceitos que têm aparecido quando o tema se trata de sustentabilidade, mas será que sabemos o que significam realmente? 

Preparámos este glossário para vocês com algumas palavras que certamente vos são familiares, mas que por vezes podem suscitar algumas dúvidas ou desconforto quando lidas em artigos, notícias ou até mesmo em contas de Instagram ligadas à sustentabilidade. 

Este é um artigo de blog diferente, mas tal como todos os que temos vindo partilhar, tem como objetivo dar-vos a conhecer este mundo vasto que é a sustentabilidade. 
 
Esperamos esclarecer algumas dúvidas e caso algum conceito vos chame a atençãopartilhem no vossos stories com a #Glossário MindTheTrash e identifiquem-nos. Queremos muito que este tipo de informação chegue cada vez mais gente de forma fácil e simples! 

 

A-Aterro

Ambiente – Conjunto de agentes físicos, químicos, biológicos e sociais que afetam diretamente ou indiretamente os seres vivos e as atividades humanas, num determinado período de tempo.  

 

Aquecimento Global – Aumento da temperatura média da Terra, derivado da queima excessiva de combustíveis fósseis, desflorestação e poluição industrial. 

 

Aterro Sanitário – Espaço destinado ao depósito de resíduos sólidos provenientes das atividades humanasO aterro sanitário possui uma base revistada por uma barreira de impermeabilização artificial e por um sistema de drenagem de lixiviados (líquidos originados pela biodegradação dos resíduos), para que estes não se infiltrem e contaminem o solo. Para além disso, alguns deles ainda possuem uma rede de drenagem de biogás, para que o gás proveniente da biodegradação dos resíduos seja encaminhado para valorização energética ou queima, segundo a Valorsul. 

 

B-Biodiversidade

Biocapacidade ou Capacidade Biológica – Capacidade de continuar a produzir recursos naturais ao mesmo tempo que estes são consumidos pela população. Caso a pegada ecológica de um país for maior que a sua biocapacidade, considera-se que esse país não tem desenvolvimento sustentável. 

 

Biodegradável – Decomposição natural feita por microorganismos (fungos, bactérias, entre outros) presentes no ambiente. Este processo de biodegradação está dependente de fatores como a localização, temperatura e a humidade. 

Caso pretendam saber mais sobre o biodegrabilidade consultem o nosso artigo Biodegrável vs Degradável vs Compostável. 

 

Biodiversidade – Conjunto de diferentes espécies de seres vivos que vivem numa região bem como as relações que mantêm entre elas. A biodiversidade é muito importante para o equilíbrio de todos os ecossistemas do nosso planeta e possui um papel crucial não só a nível ambiental, mas também a nível económico, social e até mesmo cultural. Um exemplo de como a falta de biodiversidade pode provocar um desequilíbrio ecológico é quando um animal entra em extinção. Por exemplo, sem os incestos polinizadores muitas espécies de flores deixariam de existir e consequentemente, outros seres vivos também. 

 

Buraco na Camada de Ozono – Redução na concentração de ozono estratosférico sobre os pólos. A destruição desta camada tem vindo a acontecer desde os anos 80 devido à libertação de gases constituídos especialmente por cloro. A destruição da mesma é bastante preocupante uma vez que, quanto mais fina for, menor a capacidade de a atmosfera filtrar os raios solares ultravioletas, que podem provocar inúmeros problemas de saúde como o cancro da pele. 

 

C-Combustíveis Fósseis

Classe de Eficiência Energética – Classificação que determina a eficiência do equipamento, tendo em conta a energia elétrica que consome. A escala de eficiência vai de A (mais eficiente) a G (menos eficiente). No caso de alguns equipamentos, já existe a classificação A+ e A++, que significa que têm uma eficiência energética superior aos que possuem classificação A. Classificação EnergéticaCombustíveis Fósseis – Materiais provenientes de um processo muito lento de decomposição de restos de animais e de plantas. Grande parte dos combustíveis fósseis que utilizamos atualmente, foram formados há mais ou menos 65 milhões de anos! A razão pela qual eles são tão polémicos é porque têm vindo a ser apontados como a principal causa do aquecimento global e por estarmos tão dependentes deles no nosso dia-a-dia. 

 

Comércio Justo – É um modelo comercial que põe os seres humanos e a sustentabilidade económica, social e ambiental no centro das prioridades da empresa. O comércio justo facilita que pequenos produtores tenham acesso ao mercado de forma justa e igualitária. Um dos grandes objetivos, é fomentar a cultura de consumo consciente. Infelizmente existem grandes marcas que ainda dão condições precárias e desumanas aos seus trabalhadores ao mesmo tempo que vendem produtos que só prejudicam o nosso planeta. Comprar é eleger como queremos que aconteça o desenvolvimento da nossa sociedade. 

 

Compensação de Carbono – Compensação das emissões de carbono através de soluções que diminuam a libertação de dióxido de carbono da atmosfera.  

Como exemplo, temos a DPD (transportadora que utilizamos), que organiza imensas iniciativas para compensar a pegada carbónica das suas encomendas. Recentemente, implementaram um programa de monitorização da qualidade do ar e colocaram em duas zonas da cidade Lisboa City Trees! 

As CityTrees são estruturas de madeira que possuem diferentes tipos de musgo que limpam o ar e produzem oxigénio suficiente para 7.000 pessoas por hora. Desta forma, a DPD, consegue compensar grande parte da sua pegada carbónica que diz respeito à entrega das encomendas. 

 

City Trees

Se quiserem saber mais sobre esta iniciativa da DPD, cliquem aqui!

 

Compostagem – A compostagem é um processo biológico através do qual os microrganismos transformam a matéria orgânica (folhas, papel, restos de fruta e hortaliças) numa substância semelhante ao solo, à qual chamamos de composto. O mesmo, é rico em nutrientes e melhora o crescimento das plantas, relvados e jardins. 

Os resíduos que podem e devem ser compostados são, normalmente, classificados em “verdes” e” castanhos” conforme o teor de humidade e a proporção de nutrientes. 

 

Consumo Consciente – Adquirir um bem ou serviço tendo sempre em atenção o produto em si, os valores e iniciativas sustentáveis da marca. Comprar de forma consciente é comprar, de forma a haver um equilíbrio entre a satisfação pessoal e a sustentabilidade. É sem dúvida a melhor forma de votar para que haja cada vez mais produtos e marcas amigas do ambiente. 

Querem saber como podem comprar de forma consciente? Vejam o nosso artigo 4 dicas para comprarem de forma sustentável, aqui! 

 

Cruelty Free – Garantia de que um produto foi produzido sem crueldade animal. Contudo, é de se referir que apesar de um produto ser cruelty free, não significa que seja vegano. Um produto sem crueldade animal quer dizer que não foi testado em animais, no entanto pode ter cera de abelha, por exemplo. 

 

D-Desflorestação

Desenvolvimento Sustentável – Desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da geração atual sem comprometer as necessidades das gerações futuras.  Para que isto seja possível, é necessário que comecemos a olhar para os recursos que a natureza nos dá como limitados. É muito importante que as nossas necessidades não se sobreponham a todos os seres vivos e ao tempo que a natureza precisa para os repor. 

 

Desflorestação – Destruição massiva de ecossistemas florestais que atualmente têm vindo a atingir cerca de 1,2% do total das florestas virgens, com o objetivo de obter produtos (madeira, carvão vegetal entre outros) ou áreas livres destinadas à agricultura e/ou urbanização. 

A desflorestação existe desde sempre, contudo nos últimos anos, para que possamos satisfazer as nossas necessidades, a mesma tem vindo a acontecer a um ritmo alucinante. O problema é que a reflorestação não tem vindo a acompanhar este ritmo, e é por issoque o aquecimento global e outros problemas que temos vindo a assistisão uma realidade. 

Sempre que puderem apoiem instituições que tenham como missão a reflorestação, do nosso país ou de algum sítio que esteja mesmo a necessitar. 

Algumas sugestões de associações:

 

Downcycling – Processo de recuperação de um material que não pode voltar a ser o que era inicialmente. Desta forma, é um material que quando recuperado tem menos valor para o mercado. Um exemplo muito simples é a transformação do papel branco em papel reciclado.  

 

E-Ecologia

Eco-Design – Concepção de produtos que se adequam aos critérios ecológicos desde que são produzidos até que são consumidos. O eco-design é uma parte crucial da economia circular, uma vez que uma das preocupações é desenhar produtos com o maior tempo de vida possívelPode-se reconhecer que um produto foi desenhado tendo em conta este conceito se não possuir material em excesso (na embalagem, por exemplo), se puder ser recicladocompostado e/ou reutilizado, se é duradouro e multifuncional. 

Aqui damos como exemplo, os nossos produtos da nossa marca. Todas as nossas embalagens foram feitas para que não houvesse excessos e pudessem ser reutilizadas, recicladas e/ou compostadas. Muitos dos nossos clientes, quando compram um produto nosso, fazem questão de guardar as embalagens e depois entregam-nos para que possamos reutilizar (se estiverem em bom estado, caso contrário incentivamos a reutilizar, compostar ou reciclar). Através do eco design, conseguimos manter dar mais do que uma vida às nossas embalagens, poupar o ambiente e os custos que temos com as embalagens. 

 

Eficiência Energética – Otimização do consumo de energia. Durante o seu processo de transformação, a energia pode transformar-se em calor, luz e frio, contudo grande parte das vezes a mesma é desperdiçada e quando chega até nós nem sempre é totalmente aproveitada. 

 

Economia Circular – Modelo económico fechado e dinâmico, que tem como base a otimização do fluxo de bens, a maximização dos recursos naturais e a minimização da produção de resíduos. Ao contrário da economia linear, o modelo circular tem como foco acabar com as falhas que existem ao longo do ciclo de vida de um produto. 

 

F-Fast Fashion

Fast – Fashion – Modelo de negócio que tem como objetivo a produção e consumo rápido de vestuário. Existe muito a estratégia de estimular a compra por impulso e criar novas coleções de acordo com as novas tendências. É cada vez mais comum associar a indústria fastfashion, à baixa qualidade de produtos, mão de obra precária e impacto ambiental gigante! Podemos definir fast-fashion como o oposto de consumo consciente. 

 

FSC (Forest Stewardship Council) – Organização internacional sem fins lucrativos, dedicada à gestão florestal. Cada vez que vê o símbolo da FSC, significa que os materiais daquela embalagem e/ou produto, têm como origem florestas bem geridas e que oferecem benefícios ambientais, sociais e económicos. 

 

Fontes: 

Livro de Geologia 10º e 11º Ano  

http://www.valorsul.pt/pt/seccao/areas-de-negocio/deposicao-em-aterro/ 

https://pt.fsc.org/preview.brochura-certifica.a-361.pdf 

https://www.insiderstore.com.br/blog/fast-fashion/ 

https://www.iberdrola.com/compromisso-social/eco-design-produtos-sustentaveis 

https://www.infopedia.pt/$desflorestacao 

https://dpd.pt/noticia/942 

https://www.greenfish.eu/meaningful-carbon-compensation-from-off-to-in-setting-emissions/ 

https://www.wwf.org.br/natureza_brasileira/questoes_ambientais/desenvolvimento_sustentavel/ 

Deixe uma resposta

Options