Eco ansiedade

Precisamos de falar sobre Eco Ansiedade!

Todos os dias ouvimos falar sobre o estado em que o nosso planeta está. Apesar de parecer que nós como seres humanos somos indiferentes à mesma, em algumas partes do mundo existem pessoas a sofrer de eco ansiedade! 

Quer seja por estar a experienciar neste momento alguma mudança climática ou até mesmo catástrofes naturais, por estar desinformado e estar confuso de como poderá agir, ou então por achar que as suas mudanças individuais, não são o suficiente para salvar o planeta. Tudo isto são gatilhos que desenvolvem esta preocupação extrema com o ambiente, que pode afetar a qualidade de vida e até a sua jornada sustentável. 

Neste artigo, vamos falar sobre o que é a Eco Ansiedade, quais as suas causas e a importância que é termos em mente, que ser sustentável é algo que precisa de tempo e deve ser feito com calma, passo a passo. 

 

O que é Eco Ansiedade?

Sabem aquela sensação de que tudo o que estão a fazer e a mudar pelo planeta não é suficiente? Que por mais pessoas que tentem influenciar ou por mais produtos amigos do ambiente que adquiram, sentem que não é suficiente para que haja a mudança necessária para que voltemos a ter o nosso planeta saudável? Muitas pessoas têm vindo a ter este sentimento, de uma forma tão intensa que começa a afetar a sua vida social e a sua saúde física e mental. 

 A revista Psychological Today descreveu a eco ansiedade como sendo  “uma desordem psicológica recente e que tem vindo a afetar um grande número de pessoas devido à crise climática que se tem vindo a sentir”. No entanto, e de acordo com a psicoterapeuta Caroline Hickmann no jornal Time, a eco ansiedade não é o mesmo que a ansiedade clínica. Contrariamente, esta é uma resposta positiva à crise climática, isto se não for extremista e colocar a qualidade de vida da pessoa em risco.  

 

O que pode provocar Eco Ansiedade?

1. Mudanças Climáticas e Catástrofes Naturais

Catástrofes Naturais

De acordo com Owen Gaffney, um escritor e analista de sustentabilidade do Instituto Postdam de Estocolmo, a eco ansiedade é causada pela observação dos impactos lentos e aparentemente irrevogáveis da mudança climática e pela preocupação com o nosso futuro, das crianças e das gerações futuras. O mesmo afirma que, algumas pessoas são profundamente afetadas por sentimentos de perda, impotência e frustração, por sentirem que não estão a fazer o suficiente para as mudanças climáticas que são cada vez mais sentidas. 

Contudo, este tipo de ansiedade é sentida de forma diferente em cada ponto do globo!

Num estudo realizado nas Maldivas pela psicoterapeuta Caroline Hickman, a origem da ansiedade da população estava sobretudo relacionada com o aumento do nível do mar, uma vez que, existe uma forte possibilidade de a mesma ficar submersa até 2100.  


Mas então porque é que há pessoas que ainda não têm uma consciência sustentável? 
 

 No Livro Defender o Futuro da Leila Teixeira, li uma coisa muito interessante que fala sobre o porquê de ainda haver muita resistência à mudança e o porquê de as pessoas ainda serem um pouco indiferentes a este tema, tendo em conta tudo o que tem vindo a acontecer.   

De acordo com a autora, “as alterações e os danos que estamos a provocar ao planeta não estão a ocorrer suficientemente rápido para que o nosso cérebro ou os nossos instintos de sobrevivência os considerem um perigo iminente. Como estão a acontecer de forma demasiado devagar não têm tanto impacto em nós e fazem com que aceitemos coisas como se nada estivesse a acontecer”. Posso dar como exemplo, a escassez de água. Já ouvimos imensas vezes que a água potável é um dos recursos que vai desaparecer dentro de uns anos. Contudo, ainda continuamos a desperdiçar água boa para consumo na nossa casa. Se agora implementassem uma regra onde havia um limite de água para se consumir por dia,  de certeza que todos nós teríamos mais cuidado na forma como a usamos. 

O problema é que existe quase que uma linha cronológica para os acontecimentos que vão acontecer no nosso planeta. Já devem ter visto notícias ou até mesmo documentários onde se diz, “ Em 2050 haverá mais plástico que peixes no mar”. Para nós 2050, ainda está muito longe e por isso é que ouvimos isso, ficamos chocados, mas depois continuamos a nossa vida como se nada fosse. Chegamos a 2050 e o pânico começa. Não seria melhor se antes desse ano, viéssemos a mudar os nossos hábitos pouco a pouco? Custa muito menos e conseguimos impedir que isso aconteça. 

Já nos países nórdicos a eco ansiedade assenta na incerteza do futuro e não do impacto imediato das mudanças climáticasIsto acontece porque para nós seres humanos, a incerteza é algo intolerável porque sentimos que não temos controle sob o nosso futuro . E por isso, temos a tendência de projetar os nossos pensamentos para um futuro quase apocalíptico. 

E como é que podemos ligar isto à Eco-Ansiedade?

Muito simples. Em certos países é mais frequente haver este tipo de ansiedade, porque as pessoas já “ativaram” o seu instinto de sobrevivência, ou porque já presenciaram ou porque sabem que estão prestes a presenciar uma catástrofe natural.  

Enquanto que em outros países, é como se seguissem aquela frase “longe da vista, longe do coração”. Só quando as previsões que tanto se fazem se tornarem realidade, é que nós seres humanos vamos pensar sobre o assunto e vamos querer agir. Não estou a dizer que temos de mudar do dia para a noite todos os nossos hábitos, mas que é preciso fazer alguma coisa , por mais mínima que seja! 

 

2. Desinformação sobre o tema sustentabilidade 

Têm surgido cada vez mais produtos sustentáveis e informação relativa a este tema. Mas será que é realmente verdade? Como saber se as nossas mudanças são realmente amigas do ambiente ou se os produtos que compramos ajudam-nos a diminuir o desperdício? Será que aquela marca é mesmo sustentável? E o que é ser sustentável? 

É por essa razãoque estar informado e ter curiosidade em saber mais, é muito importante se quiserem ser mais sustentáveis. Ter uma vida mais amiga do planeta, não é mesmo uma tarefa fácil. Durante anos fomos impingidos a consumir produtos que o têm vindo a destruí-lo é normal que tenhamos imensas dúvidas e que comecemos a questionar tudo. 

No entanto, é muito importante, mais uma vez, procurar saber sobre os assuntos um de cada vez. Com tantas dúvidas que vão surgindo, é normal que chegue a um ponto onde nos sentimos ansiosos, impotentes e stressados e sabem no que é que isso resulta? Em nada. Porque se queremos fazer tudo de uma vez, acabamos por não agir ou por não ser consistentes, não chegando a criar novos hábitos. 

Por isso, quando estiverem nesta situação, respirem, parem um pouco e relembrem: Um passo de cada vez!  

Caso tenham curiosidade, podem consultar os nossos artigos no blog, onde falamos o que é isto de ser sustentável e como podem tornar a sua jornada fácil e eficaz! 

 Algumas sugestões de artigos Mind The Trash: 

  1. Os 5r’s
  2. 10 dicas, 10 mudanças
  3. Poluição Doméstica – Causas e consequências
  4. 4 dicas para comprar de forma consciente
  5. 5 Dicas para uma Maternidade mais Sustentável
  6. Mind The Trash Responde: Consumo consciente e Desperdício Zero
  7. Os Perigos por trás dos Produtos de Higiene Oral!

 

Testemunho de uma pessoa que sofre de Eco Ansiedade

No jornal The Irish Times, encontrámos um testemunho de uma pessoa que sofre de eco ansiedade e achámos importante partilharmos convosco um excerto do mesmo. 

Para dar um bom exemplo de ansiedade ecológica, vou dar a minha própria experiência. Recentemente assisti ao novo filme de David Attenborough na Netflix, Life on Earth. Enquanto estava a ouvir a sua perspectiva e a sua voz incrivelmente calmante, não pude deixar de chorar em certas partes do documentário. Senti minha mente voltar para aquele ciclo de pensamento negativo e senti-me dominado pela tristeza.Houve uma cena em particular que me irritou. Ele mostrou florestas tropicais sendo derrubadas. Todas as árvores foram cortadas e jogadas no chão, exceto uma. No topo daquela árvore, um orangotango estava sentado sozinho. Senti uma enorme ansiedade e tristeza pensando nos animais que tiveram seu ambiente destruído e que estão sozinhos.” 

Bronagh Loughlin, no jornal The Irish Times, 2020

 

Se tiverem interesse em ver este testemunho completo, cliquem aqui! 

 De certeza que muitos de vocês, já se sentiram como no testemunho acima. Contudo, no mundo, existe muita gente a sentir isto de uma forma regular e intensa. E isto não é nada saudável para nós e para o planeta.  

 

Como é que pode afetar a nossa saúde?

Atualmente, não existem números concretos de quantas pessoas no mundo, têm vindo a sofrer desta condição. No entanto, sabe-se que existem cada vez mais pessoas a sentir ansiedade com a crise climática que temos vindo a observar. E isso, tem impacto na nossa saúde quer seja física quer seja mental. 

Por isso, é que dizemos tantas vezes que ser sustentável não é uma coisa que acontece do dia para a noite. Foram precisos anos para que o planeta ficasse no estado em que está. Não podemos esperar que de hoje para amanhã, consigamos resolver todos os estragos que fizemos ao ambiente. Por isso, temos só que nos focar em duas coisas: Dar o primeiro passo e não desistir!  

Alguns sintomas de quem sofre de eco ansiedade, segundo US Global Research Program: 

Impacto da Eco Ansiedade

Atenção! Não estamos a afirmar, que são estes ou que não existam mais sintomas. Estamos apenas a informar, consoante os estudos e artigos que lemos.  

 

Conselho

Eco Ansiedade

Não queirafazer a mudança de uma só vez. Quanto mais depressa a fizerem, mais depressa podem começar a desistir por ser demasiado complicado e stressante de cumprir ou lembrar. O melhor é mesmo passo a passo mudar pequenas coisas do vosso dia a dia. 

Podem ajudar imenso o planeta se começarem por mudar o que comem, o que compram, a forma como se deslocam e como poupam em casa os recursos que têm, mas não é preciso fazer isto tudo de uma só vez! O importante é começar por algum lado. Depois de terem feito alguma mudança e já estar mesmo incluída nos vossos hábitos, podem começar a influenciar e conversar sobre sustentabilidade com as pessoas mais próximas de vocês.  

Estas atitudes para além de tornarem a vossa vida mais amiga do ambiente, começa a chamar a atenção das empresas. Não se esqueçaque os nossos hábitos de compra e escolhas, fazem com que as empresas comecem a produzir mais do que estamos à procura. E quanto mais procurarmos por alternativas realmente amigas do ambiente, mais as empresas vão deixar de vender produtos insustentáveis. 

 

Dicas para ajudar o ambiente! (sem terem pressa) 

1.Tirem este pensamento da vossa cabeça: “ A minha mudança individual, não vai ajudar o planeta!” 

Sabem porque é que o nosso planeta chegou ao estado em que chegou? Porque ao longo do tempo, tivemos o pensamento “ É só um saco de plástico” “ Não faz mal aceitar esta palhinha, é só uma. Não uso sempre” O problema deste tipo de pensamento, é que não foi só uma pessoa a tê-lo, foram milhões!  

 Agora imaginem se milhões de pessoas começarem a ter o pensamento inverso. “Não quero usar palhinha. Por mais que seja só uma, não sei qual será o seu destino final”. E quem fala em palhinhas, fala em produtos de limpeza, alimentos embalados em plástico, produtos de cosmética, um conjunto de coisas extremamente insustentáveis. 

 

2.Mudem o que for mais fácil para vocês. 

Ser sustentável é também ter qualidade de vida, e por essa razão, devem sempre primeiro mudar o que acham que é mais fácil para vocês. Podem começar por fazer uma lista com as 3 coisas que acham mais urgente e que se sentem mais à vontade para mudar. Conforme se vão sentindo confortáveis com as vossas pequenas e grandes vitórias, vão passando a aumentar a vossa lista de coisas a alterar. 

 

3.Tentem conhecer pessoas que também estão a mudar os seus hábitos 

É muito importante sentirmos que não estamos sozinhos nesta jornada. Conhecer pessoas que possuem os mesmo valores e que também estão neste processo de mudança é sem dúvida uma mais valia. 

O sentimento de partilha faz-nos sentir que pertencemos a uma comunidade, e isso, é muito importante para nós enquanto seres humanos. Para além de que estamos a aprender e a ajudar ao mesmo tempo. 

 

4. Não queiram ser perfeitos

O facto de querermos fazer tudo perfeito, por vezes faz com que no final acabemos por não fazer nada. E acreditem que isso é o que faz com que muita gente não consiga mudar os seus hábitos.  

Não se esqueçam que o importante é agir! Não é só comprarem os produtos mais sustentáveis do mercado ou mudarem os vosso hábitos todos de uma só vez que vão ter uma vida mais amiga do ambiente. 

Ser sustentável é uma longa jornada. Para mim o que pode ser prático de mudar, para vocês pode não ser. Sejam sustentáveis, no seu tempo, tendo em conta as vossas capacidades e estilo de vida. No entanto não se esqueçam que passo a passo é que conseguimos a verdadeira mudança. 

2 thoughts on “Precisamos de falar sobre Eco Ansiedade!

  1. barbaramaral says:

    Enquanto pessoa susceptível a crises de ansiedade, tenho combatido (também) essa sensação de urgência, de fazer tudo ao meu alcance, e ao mesmo tempo, para diminuir a minha pegada. Um passo de cada vez. Obrigada por este post 💚

    • Patricia Pacheco says:

      Compreendo perfeitamente! Mas é isso mesmo, ser sustentável também é sermos sustentáveis connosco próprios. E é por isso é que é tão importante fazermos a mudança aos poucos, de forma equilibrada e ao nosso ritmo 🙏🙏

Deixe uma resposta

Options