O bambu é sustentavel?

Será que o bambu é uma alternativa sustentável?

O bambu tem vindo a ganhar imensa importância quando se fala em produtos sustentáveis. 

Cada vez mais este é considerado um dos materiais que melhor substitui o plástico em alguns produtos. Desde escovas de dentes, palhinhas, utensílios de cozinha e roupa, este tem aparecido como a alternativa ideal para quem quer ser mais sustentável. 

Contudo, com a fama que tem vindo a ganhar, será que é mesmo amigo do ambiente? Será que todos os produtos feitos a partir desta planta ajudam-nos a mudar os nossos hábitos, ou existem alguns produtos feitos de bambu que ainda não são completamente sustentáveis? Para que um produto seja um bom substituto dos que existem no mercado e que possuem um impacto negativo no planeta, todo o seu processo de produção, transporte e atributos, também devem ser ambientalmente corretos. 

Neste artigo, vamos falar sobre o bambu e esclarecer algumas dúvidas que ainda existem sobre a utilização do mesmo no fabrico de produtos. 

 

Sabem o que é Bambu? 

O bambu é uma planta de crescimento rápido e naturalmente renovável. Devido à sua dureza e durabilidade, é facilmente confundido com a madeira, contudo o mesmo é caracterizado como sendo uma erva 

Normalmente, quando pensamos em bambu temos a tendência a associá-lo apenas ao continente asiático. No entanto, o mesmo pode também ser encontrado na América Latina, em algumas regiões do sul dos EUA e em África, devido à enorme quantidade de humidade que existe nessas regiões. Neste momento existem mais de 1400 espécies diferentes de bambu e algumas conseguem-se adaptar a climas mais frios como o do Reino Unido e o da América do Norte, segundo a Bamboo Botanicals. 

Na cultura chinesa, o bambu simboliza longevidade devido à sua durabilidade, resistência, flexibilidade e resiliência. Até existe muito o pensamento Be like Bamboo (“Sê como o bambu) e de que o ser humano devia ter as mesmas virtudes que a planta para que possa ter uma vida longa, feliz, saudável e próspera. 

“O bambu curva-se com o vento, mas não quebra. As folhas sopram graciosamente com o vento e não caem. Muito depois de a tempestade passar, ele ainda permanece verde e alto. Sobrevive e, portanto, dura …” 

-Bamboo Botanicals 

 

Os Benefícios ambientais do bambu  

Segundo o caso de estudo Environmental impacts of bamboo as a substitute constructional material in Nigeriao bambu traz imensos benefícios para o ambiente, tais como:  

 

1. Absorção de dióxido de carbono 
Um dos grandes benefícios do bambu é o facto de este conseguir absorver uma grande quantidade de dióxido de carbono e produzir 35 vezes mais oxigénio do que um grupo de árvores. Segundo o jornal The Guardian, um estudo feito no Japão demonstra que o bambu consegue absorver 12 toneladas por 1 hectar (10 000 m2) por ano, tendo assim um papel fundamental no equilíbrio da atmosfera do nosso planeta. 

 

2. Crescimento rápido e Autorregeneração 
O seu crescimento é extremamente rápido e pode chegar até aos 90 cm por dia, consoante a espécie de bambu. Ao contrário das árvores que demoram cerca de 30 a 50 anos até atingirem a maturidade ideal para lhes ser retirada a madeira, o bambu precisa apenas de 5 anos para que possa ser colhido e utilizado para o fabrico de produtos.  

De acordo com a Scientific American, o crescimento do bambu é totalmente natural, e por isso, não precisa de pesticidas e fertilizantes, o que é muito benéfico tanto para o solo como para a água presente no mesmo. Para além disso, após ser colhido, o bambu não necessita de ser novamente plantado, uma vez que o mesmo se consegue regenerar a partir das suas próprias raízes. Isto acontece, porque quando se colhe, a raiz continua no solo e a única coisa que corta é um pouco do caule. 

 

3. Protege o solo 
Outra grande vantagem desta planta é o facto do seu sistema de raízes protegerem o solo da erosão e absorverem a água do solo, mantendo-o hidricamente equilibrado. Como os locais de crescimento de bambu costumam estar sujeitos a chuvas fortes durante o inverno, esta é uma forma natural de evitar deslizamentos de terra. 

  

Mas o que o torna uma alternativa sustentável? 

Ao contrário dos produtos convencionais que têm vindo a ganhar fama por prejudicarem o nosso planeta, o bambu confere aos produtos onde é aplicado, características naturais que promove durabilidade dos mesmos. Para além disso, se o produto for descartável, como é o caso das escovas de dentes de bambu, existem muitas formas de as descartar sem impactar negativamente o ambiente, uma vez que este é biodegradávelcompostável e até mesmo reutilizável. Aqui o importante é descartar de forma correta e não deixar que o nosso comportamento, torne estes produtos poluentes como os de plástico, por exemplo. 

Resumindo, todos os seus benefícios ambientais, são o que torna o bambu num material incrível para a produção de alguns produtos. O facto de não serem necessários fertilizantes para que o bambu cresça rápido, a durabilidade que confere aos produtos e materiais e a sua autorregeneração de forma natural, são o que o torna num dos materiais mais importantes para quem está a mudar os seus hábitos para outros mais amigos do planeta. 

 

Como é que a popularidade do bambu pode afetar o meio ambiente? 

O bambu tem vindo a ganhar fama pelos seus atributos, e por essa razão, algumas áreas estão a sofrer desmatamento para que se possa cultivar ainda mais bambu. Segundo a Scientific American, o grande problema é que por causa desta situação, imensos ecossistemas têm vindo a desaparecer e são libertadas grandes quantidades de carbono. 

Juntamente a isto, como nem todo o bambu serve para ser utilizado na produção de artigos, os produtores criam monoculturas, onde retiram outros tipos de bambu presentes na área e plantam apenas o bambu que atende às suas necessidades. O grande problema é que as monoculturas tendem a ser um problema para fungos, bactérias, insectos e animais de pequeno porte, que dependem da diversificação do ecossistema, para sobreviver. 

Todas as monoculturas possuem este problema, como exemplo temos as florestas de eucaliptos em Portugal e os campos de abacates na América do Sul. Sempre que se sabe que determinado recurso é bom para ser utilizado, o ser humano tende a usá-lo até à exaustão, vendo apenas as suas necessidades e não as do planeta. Enquanto não percebermos a natureza e estarmos em sintonia com ela, nada vai mudar. 

Para além disto, lembram-se de termos referido que o bambu não precisa de fertilizantes e pesticidas para que o seu crescimento seja rápido? Segundo o Scientific American muitos dos agricultores começaram a adicioná-los para que o seu crescimento fosse ainda mais rápido e assim conseguirem aumentar o tempo de renovação do mesmo. Por isso é muito importante, sabermos de onde vem o bambu quando compramos um produto. 

Para acabarmos este tópico, não podíamos deixar de esclarecer uma grande questão que está associada a um dos animais em que pensamos logo quando se fala em bambu: o panda! 

Apesar do panda ser um animal carnívoro, grande parte da sua alimentação é feita à base de bambu, contudo não é o mesmo tipo de bambu que é utilizado para fabrico industrial e geralmente crescem em diferentes áreas, de acordo com World Wild Fund (WWF). Normalmente, os artigos que se vêm no mercado são feitos de Moso e os pandas não apreciam esta espécie de bambu.  

 

Como saber se o produto que estou a comprar é com bambu sustentável? 

Segundo a WWF, nem todo o bambu é necessariamente sustentável e por isso é muito importante termos em atenção se os produtos que compramos têmétodos de fabrico ambientalmente corretos. 

Normalmente, as marcas possuem certificações que garantem que o bambu foi extraído de forma sustentável e o seu cultivo não incluiu nenhum produto químico prejudicial. No entanto, precisam de ter em atenção que muitas das marcas, podem não possuir este tipo de certificações devido aos custos que possuem. E é por isso, que é muito importante conhecerem a marca à qual estão a comprar. Analisem os seus valores e transparência e se tiverem dúvidas, questionem a mesma. 

Consoante o produto que se quer fabricar muda-se o tipo de bambu que se vai utilizar. Contudo o mais utilizado e popular é o da espécie Moso que provém da china e de outros países asiáticos.  

Mas o que é que o torna especial? 

Para além de chegar quase aos 20 metros de comprimento, de ter um diâmetro entre 10 e 20 cm e ter um crescimento extremamente rápido, é a espécie mais resistente! Já para não falar que é grande parte do bambu existente é desta espécie e por isso, não existe a necessidade de desflorestar para se cultivar mais bambu diminui. 

De acordo com a Bamboo Botanicalsoutra grande vantagem desta espécie é o facto do seu sistema de rizomas subterrâneos não morrerem após a colheita e o seu rendimento e qualidade aumentarem após a mesma!  

 

 

 

 Bambu vs Plástico 

Ao contrário do bambu, o plástico tem vindo a ganhar fama devido ao impacto ambiental negativo que tem no nosso planeta. Desde os oceanos às florestas, este já chegou a todo o lado inclusive ao nosso organismo. Na outra vez li numa notícia que foi encontrado plástico na placenta humana, o que demonstra que tudo o que colocamos na natureza ela devolve-nos. Por exemplo, se plantarmos vegetais depois mais tarde podemos colhê-los e alimentarmo-nos deles. Se descartarmos, materiais como o plástico no ambiente, de uma forma ou de outra eles vão chegar até nós. É caso para dizer que só estamos a colher o que plantámos. 

Pergunto-me como é que ainda existem pessoas que não percebem que nós pertencemos à natureza e não o contrárioGrande parte dos problemas ambientais, têm a ver com o nosso comportamento, e no caso do plástico descartável essa situação é mais do que evidente. 

A grande vantagem do bambu em relação ao plástico começa logo no início do seu processo de fabricação. Enquanto que o bambu é recolhido de forma manual, o plástico provém do petróleo que é retirado através da perfuração de certas zonas do fundo do mar.  Podemos dar como exemplos do seu impacto, a destruição da fauna aquática em caso de derramamento, poluição do ar, alteração de ecossistemas vizinhos, desastres ecológicos entre outros perigos que só a sua extração já causa no ambiente. 

Depois de termos o óleo extraído, usamos ainda mais energia e produtos químicos para o podermos transformar na enorme variedade de plástico que existe e que depois vai para as nossas vidas. Mas o impacto negativo do plástico não acaba aqui! Depois de levarmos para a nossa casa imenso plástico descartável, voltamos a colocá-lo na natureza. E a partir daí todos nós já sabemos as consequências para todo o planeta (e nós estamos incluídos claro). 

Por isso se perguntarem se o bambu é uma alternativa amiga do ambiente, nós respondemos sim é, mas tenham sempre em atenção às marcas a quem compram. Isto porque, os produtos desta planta podem ser duráveis, reutilizáveis e até a sua forma de descartar (caso sejam descartáveis) pode ser muito mais amiga do ambiente, mas também é muito importante estarmos atentos, ao seu fabrico. Já não falo em local de origem, porque é completamente normal um produto de bambu ser fabricado na china, uma vez que o bambu tem como origem o continente asiático.  

Se quiserem podem ver o nosso artigo, Porque deve deixar de usar Escovas de Dentes de Plástico, cliquem aqui! 

 

Roupa de Bambu é sustentável? 

O uso de bambu para o fabrico de roupa, teve início no século XVIII na China e no Japão. Os trabalhadores rurais costumavam usachapéus e sapatos feitos a partir desta planta para os proteger do sol enquanto trabalhavam nos campos. Com o avanço tecnológico, conseguiu-se utilizar o bambu para peças de roupa mais complexas.  

Mas será que a produção de roupa à base de bambu é sustentável? Depende. 

Existem duas formas de produzir roupa a partir desta planta: quimicamente ou mecanicamente. 

Processo químico 

Normalmente, a técnica mais utilizada tem como base o processo químico, onde é extraída a fibra de celulose do bambu, que é basicamente a polpa do mesmo e convertida em composto solúvel. O grande problema desta técnica é que necessita de produtos químicos tóxicos como o hidróxido de sódio (soda caústicae o dissulfato de carbono, que modificam a estrutura do bambu natural e transformam-no em rayon/viscose.  

Segundo a Federal Trade Comission, as roupas só poderão ser rotuladas como Roupa feita de bambu”, se as mesmas são feitas diretamente do bambu. Caso sejam feitas através do rayon de bambu devem estar expressamente descritos, que aquela peça de roupa é feita de rayon feita a partir de bambooIsto acontece porque o rayon é o resultado da junção de bamboo com produtos químicos, e por essa razão, a mesma não pode ser totalmente considerada como sendo feita exclusivamente de planta. 

 

Processo mecânico 

Para que as fibras sejam retiradas mecanicamente, o bambu é esmagado até virar uma massa, onde depois são usadas enzimas naturais para as quebrar. De seguida, as fibras são penteadas e transformadas num fio. Este é o processo mais sustentável, contudo o menos económico. Para além de ser muito trabalhoso, o fio final não fica tão macio.  

É por isso que grande parte dos produtores de roupa feita à base de bambu, prefere utilizar o método químico. Isto porque para além de ser menos trabalhoso, conseguem produzir de forma mais rápida maiores quantidades e consequentemente ter mais lucro a curto prazo. 

 Quando se pensa em roupa feita de bambu, apenas nos vem à cabeça que como é feita a partir de uma planta de certeza que é sustentável. No entanto, mais uma vez, alertamos para que conheçam bem o produto que querem antes de o comprar. Um produto só é completamente sustentável se todo o seu fabrico o for. Muitas vezes tendemos a olhar só para o produto final, mas é muito importante nos questionarmos sobre a produção dos mesmos e se essa informação não nos for esclarecida no site da marca, o melhor é enviar-lhe um email com todas as nossas dúvidas. 

Deixe uma resposta

Options